sábado, fevereiro 11, 2006

Leio um artigo interessante no Awanene, escrito pelo Luciano Pires. Trata-se de uma análise sucinta sobre como a economia chinesa deverá causar um estrago na economia mundial. Se vai levar anos, décadas ou ainda séculos não sabemos. Mas o chinês tem por filosofia a paciência.

Em resumo trata o seguinte: Por custar quase nada para fabricar um produto, as empresas americanas, entre outras, estão deslocando suas unidades fabris para aquele país. Produzem por uma ninharia e vendem com uma margem de lucro que beira o roubo. A idéia é que com o tempo todas os produtos, que são consumidos no mundo, sejam finalmente fabricados na China, muitos já o são, e em determinado momento algum chinês sacana vai lá e explode o preço dos insumos: energia, mão-de-obra etc. Seria o tal choque da manufatura representando, para o mundo consumista notadamente os Estados Unidos, o que foi o choque do petróleo. Os países industriais, industriais não consumistas, levariam muito tempo para refazer seu parque e daí a idéia do choque.

Se já existe esse tipo de percepção por que não obrigar a China a adotar, pelo menos o mínimo, de benefícios que trabalhadores no resto do mundo usufruem? Existe uma OIT. Qual é né? E o mais engraçado. É um país socialista, comunista. No fundo, é isso que nos aguarda?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics