quarta-feira, dezembro 21, 2005

Escapou o dono da cueca, sendo que ele admitiu que recebeu R$ 250 mil, não oficializados pela Justiça Eleitoral, para serem gastos na campanha de outro corrupto. O único que se deu mal na estória foi o sujeito que estava transportando.

Enquanto isso, na sala da justiça, Marcos Valério tenta receber a grana que o PT calotou. Incluindo juros e correção, ele quer receber R$ 100,082 milhões. Os empréstimos foram feitos entre 21 de fevereiro de 2003 a 1 de outubro de 2004. O curioso que só agora, em 2005, os bancos, Rural e BMG, e o Marcos Valério estejam cobrando a dívida. Ainda vou tomar um tiro por conta deste pulha.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics