sábado, novembro 12, 2005

Uma das coisas que mais me deixam indignado é a total subserviência que o brasileiro tem em relação a qualquer panacéia importada. Exemplo, hoje em dia somos bombardeados com shows de bandas de rock que eram um sucesso na década de 60/70. Eles vêm aqui, dão uma palinha, fica um mundaréu de gente babando e ninguém se lembra mais que quando eram famosos mesmo não estavam nem aí, pois acreditavam que no Brasil só tinha índio.

Outra bobagem é com "personalidades". Basta o cretino/cretina ter um minuto de fama lá fora que aqui vira celebridade. Ou ainda pior, vi uma vez na NET uma entrevista com um diretor da FOX, por ocasião do lançamento da programação desta canal ou algo que o valha, em que o retardado despejava um monte de asneira em inglês. A principal foi: "Inclusive estaremos lançando também o Titanic, que aqui no Brasil vocês não devem conhecer, mas foi um navio que afundou blábláblá...". E a boçal da entrevistadora só fazia balançar a cabeça. No mínimo devia ter corrigido o idiota.

Aliás, ainda vou descobrir por que as pessoas, quando conversam com estrangeiros em outra língua, balançam a cabeça como se fossem vaquinhas de presépio. Também por que a maioria das pessoas, que fala ao celular, enfia imediatamente a mão desocupada no bolso ou debaixo do sovaco.

E agora, o Mike Tyson. O cara mete a porrada em um cinegrafista (apesar de dar razão a ele se estou em um outro país tomaria mais cuidado com isso), vai depor e todo mundo da delegacia quer tirar foto com o sujeito.

Vamos ser colonos assim lá na África.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics