segunda-feira, setembro 12, 2005

O Severino "cara de pau" Cavalcante afirma com absoluta convicção que o documento, renovando o contrato do restaurante e que deu origem ao "mensalinho", é fraudulento. "Não assinei nem assinaria de forma consciente documento de tal conteúdo" disse (sic). Se não foi consciente, foi inconsciente? Ele tava doidão? Foi psicografia? (descartamos essa por que ele não está morto, ainda).

O que diabos dos infernos ele quis dizer com isso?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics