sexta-feira, setembro 16, 2005

No processo de cassação do Roberto Jefferson aconteceu uma coisa no mínimo irônica. José Dirceu teve o seu voto anulado na cassação de mandato de Roberto Jefferson. A comprovação foi feita através de uma foto feita por Sérgio Lima e publicada na Folha de SP.

Na fila de votação, Roberto Jefferson ficou atrás de José Dirceu, eles não se olharam e, por motivos óbvios, não se falaram. No rito, ao encerrar-se a votação, confere-se o número de votantes com o número de votos. A cédulas, de cor branca, são depositadas em envelopes pardos. O presidente, José Thomaz Nonô, anunciou que o número de votantes correspondia ao número de votos, só que havia um voto, da urna do lado esquerdo, que estava sem envelope. Nonô disse que tratava-se de uma cédula isolada e que, como tal, permitia a identificação do votante e, declarando o mesmo nulo, RASGOU a cédula.

Na foto dá para ver claramente que o voto depositado por Dirceu, não esta no envelope. José Dirceu declarou ao Globo que tinha votado do jeito que não gostaria que votassem nele. O fato é que seu voto foi rasgado, talvez, na pressa, ele foi o mais rápido que pôde e esqueceu-se do envelope ou... (teorias conspiratórias). O homem, que desperta os instintos mais primitivos de Roberto Jefferson, não pôde votar pela cassação dele.

(fato presenciado, ao vivo e em cores, por minha amiga Gisele e que, gentilmente, permitiu sua publicação)

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics