sexta-feira, agosto 05, 2005

Estou lendo na Folha on line que a justiça catarinense condenou o presidente da Sulfabril a seis anos de prisão. O regime é semi-aberto, isto é, ele não passa o tempo todo engaiolado. A pena é devido ao fraudes na venda e recompra de imóveis, além de cometer irregularidades em transações bancárias Entre agosto de 1996 e setembro de 1999 foram efetuados vários saques a favor de Fritzche, no valor total de R$ 3,3 milhões. Porém, o saldo credor dele, ao final de todas estas operações era de apenas R$ 651,43, o que comprovaria manobras de desvio de dinheiro.

Quer dizer, o cara meteu a mão na grana preta, deixou credores de sua empresa, e provavelmente os funcionários, a ver navios e apenas pega 6 anos de cana semi-dura (sem trocadilhos). Por que a justiça não aplica também uma multa? Recupera o dinheiro? Sei lá, qualquer coisa que valha uma punição exemplar.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics