quinta-feira, agosto 11, 2005

Os presos fogem do presídio
Imagens na televisão
Mais uma briga de torcidas,
Termina tudo em confusão.
A multidão enfurecida
Queimou os carros da polícia
Quando estão fora de controle,
Não são as regras exceção
Não é tentar o suicídio
Querer andar na contramão

Quem quer manter a ordem?
Quem quer criar desordem?

Não sei se existe uma justiça,
Nem quando é pelas próprias mãos
Nas invasões, nos linchamentos
Como não ver contradição?
Não sei se tudo vai arder
Igual a um líquido inflamável,
O que mais pode acontecer
Neste país rico e no entanto miserável
Em que pese isso sempre há, graças a Deus
Quem acredite no futuro

Quem quer manter a ordem?
Quem quer criar desordem?

É seu dever manter a ordem,
É seu dever de cidadão,
Mas o que é criar desordem,
Quem é que diz o que é ou não?
São sempre os mesmos governantes,
Os mesmos que lucraram antes,
Põem a esperança lado a lado
Às filas de desempregados
Que tudo tem que virar óleo
Pra por na máquina do Estado.

Quem quer manter a ordem?
Quem quer criar desordem?

(copyright Titãs)

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics