terça-feira, julho 26, 2005

Era uma vez num reino distante uma fazenda. Nela existia um enorme galinheiro onde, conforme o humor do fazendeiro, eram produzidas enormes quantidades de ovos. A despeito do que faziam o rei e seus conselheiros.

Um belo dia, apareceu naquele reino um bobo da corte, carregado de malas e cheio de estórias para contar. Mesmo assim as galinhas continuaram a botar seus ovos alegremente. Nada parecia afetar o ritmo produtivo daquela granja.

Como o bobo da corte achou o reino muito bonito, onde tudo que se plantava se colhia, resolveu então passear pelas terras que se avistavam. De repente, ouviu um barulho na mata e de lá sairam, em disparada, um enorme bando de raposas. Surpreso pensou:

-O que terá assustado essas raposas? Serão as malas que carrego? Ou as estórias que conto ao vento? Mas já o faço há quase dois meses...

E, não se sabe por quê, apesar de conviverem cordialmente há séculos com as raposas, as galinhas entraram em polvorosa. A produção caiu e o humor do fazendeiro azedou. O rei muito zangado, com cara de quem não estava entendendo nada, fez um discurso contundente a respeito de ética, moral e corrupção.

Mas isso são outros quinhentos.

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics