segunda-feira, junho 20, 2005

Voltemos ao cenário policial.

José Dirceu saiu dizendo-se vítima de um "complô das elites". O Collor se referiu às "forças ocultas" quando começaram a pipocar os escandâlos envolvendo sua pessoa. Mais um paralelismo aos meu amigos leitores.

No Brasil, suponho que existam apenas duas elites: a dos políticos e a dos financistas. Explico. Em qualquer país civilizado os grupos econômicos produtivos se esforçam para eleger seus representantes. No Brasil, com a política econômica que se adota, com aumento de impostos, taxa de juros e um governo previsivelmente "imprevisível", é simplismo acreditar que o setor produtivo, excetuando-se o rural, tem algum interesse defendido. Só se alguém acredita que sonegar é bacana. O único grupo econômico que tira vantagem dessa zona é o dos banqueiros. Afinal, em um país onde bolsa de valores e de mercadorias é sinônimo de cassino, ter uma informação privilegiada ou ter o poder de influenciar uma decisão tem seu valor.

Considerando que a atual oposição se vale dos mesmos mecanismos utilizados pelo PT, no passado, podemos considerar então que o PT era elite?

Copyright 2010 Jus Indignatus por Ricardo Rayol*template e layout layla*
Clicky Web Analytics